Voltámos a viver ou revivemos um novo normal?